CODFISH WATERS

Álvaro Uribe Vélez

Posted in Internacional by Francisco Camarate de Campos on 3 Julho, 2008

Álvaro Uribe Vélez foi o grande vencedor da libertação de Ingrid Betancourt e de outros treze sequestrados da FARC. Foi uma operação brilhante. Daquelas que só se vêm nos filmes, e mesmo nesses casos, não acreditamos que sejam verosímeis. O Presidente da Colômbia que tem conseguido níveis de popularidade de mais de 80% , estando a meio de um segundo mandato, vai assitir a mais uma melhoría do seu reconhecimento popular.

Álvaro Uribe é um líder como poucos na América Latina. A sua história, no entanto, não é rectilínea. O seu pai foi assassinado pelas FARC quando Uribe era Presidente da Câmara de Medellin. Durante esses tempos, a sua família foi várias vezes apontada como próxima de líderes de carteis da droga como Pablo Escobar. Enquanto Senador e Governador de uma região foi ganhando preponderância na política colombiana e começou a introduzir a mão dura nas suas políticas. Para o seu sucesso, sobretudo após ter sido eleito Presidente, foi fundamental a sua perseverança, a auto-confiança nas suas ideias, a consistência, a capacidade de perceber os colombianos, o poder de saber gerir a adversidade, o facto de que não esquece um nome e uma cara, a enorme qualidade dos seus discursos.

Álvaro Uribe está neste momento a ser tentado para pressionar o Supremo Tribunal a rever a Constituição e permitir que o actual Presidente se candidate a um terceiro mandato. Eu sinceramente preferiria que Uribe não caísse nessa tentação. Quer continue, quer não, Uribe já vai ficar na história. Quer continue, quer não, Uribe já vai ser recordado como o Presidente que neutralizou as FARC, que libertou vários reféns e praticamente eliminou novos raptos, que contribuiu para a diminuição da criminalidade nas grandes cidades para níveis muito aceitáveis, que obteve níveis consistentes de crescimento económico sem paralelo na história recente do país, que trouxe a Colômbia para os radares do investimento e turismo, isto tudo para além de ter liderado várias reformas fundamentais. Álvaro Uribe tem sido o Presidente que tem feito sonhar os colombianos de uma vida pós conflito. Se continuar, é verdade que pode conseguir mais. Abre, no entanto, um precedente que não trará nada de positivo à inconstante democracia colombiana. Apesar do muito que já deu ao seu país, 2010 será o momento certo para partir. A Colômbia está preparada para encontrar alternativas – Sergio Fajardo é uma delas.