CODFISH WATERS

Ciências Sociais

Posted in Uncategorized by António Luís Vicente on 11 Junho, 2008

No Marginal Revolution, um post de leitura obrigatória para quem tem que fazer trabalho de campo no âmbito de teses de mestrado ou doutoramento em sociologia, ciência política, psicologia, economia e afins.

Anúncios

Psicologia e psiquiatria

Posted in Uncategorized by Francisco Camarate de Campos on 9 Abril, 2008

O blog Freakonomics juntou especialistas em psicologia e psiquiatria e pediu-lhes para apresentarem a sua opinião sobre o desenvolvimento e progressos destas áreas no último século. Subjacente a esta pergunta está uma preocupação em relação ao grau de efectividade e de segurança dos medicamentos actualmente receitados para doenças relacionadas. Entre os comentários, que incluem orientações tão distintas como biologia molecular ou behavioral economics, estão os seguintes:

The environment has a large effect on our behavior…if we want to have a validly descriptive model of human behavior we must incorporate the environmental variables into our models. Dan Ariely

Do we know enough about the human psyche to prescribe the medications that we do? No. But we have had to do something, because people all over the world regularly try to kill themselves. John Medina

Humans are a complex and messy species and as such continue to offer psychology plenty of material to work with. David Baker

I think the field of psychology began making important and cumulative progress when it ceased to be a social science, and became a natural science. Psychology is really a branch of biology or zoology. Satoshi Kanazawa

Steven Pinker

Posted in Uncategorized by António Luís Vicente on 18 Janeiro, 2008

Steven Pinker escreve no New York Times sobre o “Moral Instinct“. Trata-se de um artigo de fundo – 12 páginas – mas estão lá quase todas as grandes questões actualmente em discussão. Pinker é talvez o académico que melhor tem feito, nos últimos anos, a ponte entre os mundos da psicologia, biologia/evolução e filosofia. Não digo que o artigo seja de leitura obrigatória, até porque apenas interessará a quem pense em temas obscuros como “natureza humana”, “ética”, “moral”, “política” ou “religião” e porque não gosto de obrigar ninguém. Mas recomendo.